Vídeo para esclarecer sobre as pegadas de carbono

*Do Beef Point

EUA: produtores de carne fazem vídeo para esclarecer sobre pegadas de carbono

Um conceito errado e comum entre muitos consumidores é que a produção moderna de carne bovina é ruim para o meio-ambiente. O Instituto Americano de Carnes (AMI, sigla em inglês), em conjunto com a Associação Americana de Ciência da Carne (AMSA), lançou um novo vídeo que visa esclarecer os mitos associados com os impactos ambientais de operações grandes e modernas de produção pecuária. O vídeo é o quinto de um total de sete vídeos que serão lançados para acabar com os mitos relacionados à carne bovina.

O vídeo traz a professora associada do departamento de ciências animais da Universidade de Washington, Judith Capper e esclarece uma ideia comum errada de que as operações grandes e modernas de produção de carne têm um impacto ambiental negativo maior do que as operações pequenas e locais.

“Esse é um erro de percepção comum entre os consumidores. A primeira coisa que temos que entender é que, geralmente, quanto maior a operação, mais moderna ela é e aceita mais tecnologias, tem um menor uso da terra, menor uso da água e menores pegadas de carbono”. Capper disse que os avanços na produtividade nos últimos 30-50 anos “realmente cortaram as pegadas de carbono por libra de carne bovina em 16% desde 1977”.

Capper também acaba com o mito de que a carne de animais criados a pasto é melhor para o meio-ambiente. “Em média, um sistema de alimentação com grãos é significantemente mais amigável ao meio-ambiente do que um sistema de alimentação a pasto”, disse ela. A principal razão disso é que os animais criados a pasto são criados a um peso mais leve, mas levam mais tempo para chegar a esse peso. “Eles levam em média 606 dias do nascimento ao abate, contra 420 dias no sistema de alimentação com milho. Isso significa mais dias totais dos animais (para pastagem) e isso é mais alimento, mais terra, mais água, mais energia – e, dessa forma, maiores pegadas de carbono de forma geral para os animais criados a pasto”.

Capper e Frank Mitloehner, professor associado de ciência animal e especialista em qualidade do ar da Universidade da Califórnia, Davis, serão palestrantes no seminário online chamado “Beef Sustainability”, que será transmitido pela Drovers/CattleNetwork em 14 de março.


 

 

Deixe seu comentário sobre este assunto:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s