Setor se reúne para planejar evento nacional de Plantio Direto na Palha

*Da FAMASUL

Aproximadamente 90% dos produtores de Mato Grosso do Sul utilizam o plantio direto na palha, mas boa parte deles precisa atualizar seus conhecimentos e qualificar o método. O aprimoramento da técnica é um dos objetivos da realização de eventos como o Encontro Nacional do Plantio Direto na Palha, evento que, em sua 14º edição, será realizado no Estado.

Representantes de entidades ligadas ao setor rural estiveram reunidos ontem, na Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul – FAMASUL, para tratar da organização do encontro, que acontecerá no segundo semestre de 2014, em município ainda a ser definido. O presidente da FAMASUL, Eduardo Riedel, reforçou o valor da aplicação da técnica por ser fator de adequação da agricultura ao conceito de sustentabilidade. “Precisamos fortalecer o plantio direto como uma referência, pois ele é um dos maiores ativos ambientais da agricultura brasileira”, afirmou o dirigente.

Segundo o presidente da Federação Brasileira do Plantio Direto na Palha (Febrapdp), Alfonso Adriano Sleutjes, o plantio direto atinge hoje cerca de 30 milhões de hectares no País.  “É uma prática crescente que se ajusta à necessidade de métodos sustentáveis. E traz resultados econômicos, porque sua aplicação continuada reduz o custo de produção”, menciona. Sleutjes enumera a proteção do solo contra a erosão e o aumento do teor de matéria orgânica do solo e consequente fixação do carbono entre os pontos favoráveis à prática.

A manutenção da camada orgânica também evita a evaporação da umidade e faz com que as culturas sofram menos com seca, além de favorecer o aumento da diversidade biológica do solo. “O plantio direto reduz em 30% a necessidade de irrigação da lavoura e sua barreira física serve de isolante contra alguns tipos de doenças”, complementou.

“O plantio direto pode contribuir para agregar à agricultura brasileira o conceito de plantio sustentável e se tornar um diferencial da agricultura brasileira”, enfatizou o presidente da Fundação MS, Luis Alberto Moraes Novaes. A instituição de pesquisa tem sua origem atrelada ao plantio direto, pois foi criada com o objetivo de desenvolver tecnologias para adaptação da técnica ao Cerrado.

Para organizar o 14º Encontro Nacional do Plantio Direto na Palha foi formada uma comissão integrada por representantes da Famasul, Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja/MS), Embrapa, Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Febrapdp, Fundação MS e universidades. A última edição do evento aconteceu em julho de 2012, em Passo Fundo (RS), e reuniu cerca de 500 participantes.

Plantio Direto e a Agricultura de Baixo Carbono

O Plantio Direto é uma das técnicas da Agricultura de Baixo Carbono. A técnica está descrita no Guia de Financiamento da Agricultura de Baixo Carbono, que ajuda produtores rurais a conseguir financiamento para implantação dessas técnicas em suas propriedades rurais.

A implantação de projetos de agricultura de baixo carbono nas propriedades rurais ajudará o País a cumprir os compromissos assumidos na 15ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 15), de redução significativas das emissões de gases de efeito estufa geradas pela agropecuária.

* FAMASUL – Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul

Deixe seu comentário sobre este assunto:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s